Terça-feira, 17.05.11

 

 

 Posso resumir em três palavras o que aprendi com a vida:
"A vida continua"


sinto-me Sapa
música sapinho, sapinho.

publicado por No Name às 15:33 | link do post | comentar | favorito

Sábado, 09.04.11

 

Consigo prever que nada fica, após uma traição.

As relações que antes eram entre duas pessoas, agora, abrem-se (literalmente) num leque ilimitado de pessoas.

Talvez agora passemos a relações a trois, ou mais. Fetiche de qualquer um, portanto!

Conseguimos aumentar o leque de relações e de experiência.

 E de amor. Amamos mais. Pelo menos em quantidade.

 

Quem nunca foi traído que atire a primeira pedra. Quem vive na inocência, que atire na mesma.

 

Tenho para mim, que nunca deveríamos ter assumido uma sociedade monogâmica, pois estamos sempre a infringir a lei moral desse catecismo!

Sei bem, que ninguém está capaz de assumir que a traição existe.

Seja ela, meus caros, física, emocional, psicológica (...)

E sabem o pior? Querem mesmo saber?

Cá vai, não se pasmem: a pior traição de todas, é aquela, que perpetuamos connosco mesmos!

 

Não precisam de se assumir em público, pois, é tanto mais bonito, mostrar uma vidinha feliz.. mas coloquem os sentidos no vosso coração.

Sintam-se imbecis - por tudo o que permitiram que alguém vos fizesse, por imaginem - amor.

Sim, cá estou eu, de novo, a falar em amor.

 

 

Não por falta dele.. mas porque em tempos, o vivi em excesso. E todos o vivemos dessa forma.

Estou de acordo. Afinal, é uma necessidade fisiológica, que associada, ao sexo, é uma das maravilhas do mundo.

Contudo, uma necessidade que não se supre apenas com uma pessoa. Que necessita de dar largas à imaginação e ao circulo de companheiros (as).

 

Confesso-vos que não acredito que as pessoas caiam em si, perante tal realidade, mas tentei, mais uma vez, exercer um serviço útil e público.

Tanto mais, poderia dizer.. mas fica para outro dia. Ou para outra vida.

Sejam felizes.


sinto-me
música Marco Paulo - Tenho dois amores

publicado por No Name às 19:25 | link do post | comentar | favorito

Domingo, 03.04.11

Não, não estou a falar da Páscoa.

 

Apresento-vos os meus (novos) melhores amigos nocturnos.

 

 

 

 

Ao que cheguei...

 

Agradecimento ao Sr. Florentino da farmácia que me indicou esta arma contra os ruídos sonoros dos selvagens deste lugar.

 

 

Vizinho querido, a factura desta compra, está na sua caixa correio. Atentamente. Vizinha No Name.


sinto-me
música Nenhuma. Não ouvi nada.

publicado por No Name às 10:04 | link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sábado, 02.04.11

Olá pequenos Zombis,

Descobri por estes dias, que as pessoas não precisam de dormir.

Nenhum ser Humano que se preze, perde horas de conversa e risinhos e momentos saltitantes em plenos saltos altos,para, ouçam bem dormir! Que piada!

 Ninguém no seu perfeito juizo tem necessidade de dormir... Muito menos durante as noites!

 Bem, pelo menos, é assim que a maioria dos meus compinchas de prédio pensam.

Que almas que admiro!Amo-os.

Os de cima (mesmo aqui por cima da minha casota),

que tanto estimo e até convido para o aniversário do meu cão,

têm hibernado dias a fio, sem sequer precisarem de se calar e abrir mão, ao silêncio tão desejado nestas noites.

Eles correm, saltam, riem, conversam efusivamente... chiam e chiam com as molinhas da cama.. horas a fio.

Minha gente, que energia invejável!

Eu, cá por baixo, choro.. de tristeza.

Porque também não durmo.

  Não consigo.

Estou demasiado impregnada na tristeza de os ouvir a se divertir de maneira tal..

....e eu, sozinha sem oportunidade de partilhar tamanha festa e emotividade!

Os olhos, esses teimam em fechar-se (malditos).

 Os ouvidos não deixam (atentos que só eles).

 Os poetas de cima, entoam palavras lindas de barulho, que o meu coração emprega como pronuncio de morte (breve).

Temo que por estes mesmos dias, as insónias provocadas em mim, por essas almas, me levem a remar pelo caminho escuro do FBI.

E eu que sou tão calma. Mas assim? Não poder partilhar estas festas.. transforma-me.

Digo mais: Transtorna-me.

Bati à porta, bati e bati...

 

e os

 

 Toc toc toc

 

Toc toc toc

 

Toc toc toc

 

Toc toc toc

 

 

.. não surtem resultados.

Ignoram-me.

Fingem que não existo.

Eu, reduzo-me à minha insignificância e mantenho os ouvidinhos despertos para pelo menos,

aproveitar os sons sonoros que as minhas paredes me permitem alcançar!

Vai daqui, um profundo agradecimento (a propósito das paredes), ao construtor destas casotas.

Profissional tal, que isolou, como "manda a sapatilha", muito bem tudinho isto, com palhinha nas paredes!

Amen! - As alminhas estejam com ele, onde estiver.

 

Até já!

 

 

Eu sei que ninguém teve este pensamento pecaminoso.. mas para evitar mal entendidos: os barulhos não se devem ao aspecto reprodutivo do ser humano! F***r, só se for a minha cabeça!

sinto-me
música De embalar

publicado por No Name às 04:25 | link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 31.03.11

 

 

 

CLICAR na imagem para ver em perfeição

 

Ora aí está..

Mafaldinha..

 

Mas também poderia ser: ao meu prédio.

 


sinto-me
música Para o circo

publicado por No Name às 11:39 | link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quarta-feira, 30.03.11

Boa tarde meus pompons de claque,

não voltei aqui ao estaminé, porque num destes dias, numa das muitas quezílias com os selvagens do prédio.. passei-me dos carretos e mandei o portátil à cabeça de um..

Mentira.

Podia ser verdade de facto, vontade não me terá faltado.

Mas ainda não foi desta, estimo demais o meu pequeno acessório de escrita. Entretanto, ainda encontro melhores armas de arremesso!

A verdade é que tenho dormido por pequenos turnos. Quando não há barulho, de cima, de baixo, dos lados...

Agora vou ali dormir uns segundos, pois parece-me que está um som razoável para me deixar passar pelas brasas. Afinal ouvir a Conceição da Boa Tarde, patrocinado pelos de baixo, é sempre uma honra. Que óptimo som de fundo, aos meus sonhos!

Até já.


sinto-me
música The Police - Every Breath You Take

publicado por No Name às 17:15 | link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Segunda-feira, 21.03.11

Olá, meus pequenos pinipons,

venho aqui para falar de amor (ohhh que coisinha tão fofinha)... vá, sentem-se e escutem (ups, leiam).

E venho, em serviço público, pois custa-me horrores, ver pessoas a proferi-lo de boca em boca, inadvertidamente.

Meus queridinhos, tantos são os que se dizem perdidamente apaixonados "Oh.. ele é tão lindo, e ama-me tanto. É a flor da minha Primavera. O meu torrão de açúcar."; "Ela é a mulher da minha vida, a minha eterna e única paixão.."... e mais coisitas que tal, lindinhas e amorosas, que vou parar de expor, sob pena de corromper e infestar este blog maravilhoso.

Sejamos nus e crus. Bem nus e bem crus: Mas vivem em que mundo? Raios! Que andamos todos a viver em constelações diferentes. Quiçá níveis alienígenas diferentes e opostos.

Meus caros, aqui, onde vivo (de onde vos escrevo) não há esse amor, não como teimam em defini-lo.

Os factos são: existe atracção, supressão da solidão e quiçá em hipótese muitíssimo remota -  afecto.

Mas amor? Oh.. Amor?!

Isso é o que eu sinto pelo meu cão.

Senão vejamos (acompanhem o meu raciocínio devagarinho),

o meu cão irrita-me e faz as necessidades dele na carpete mais linda e cara da minha esplendorosa sala -  aposento preferido na altura da novela. Eu, reajo energeticamente com meio grito, abafado por um coração mole, que lhe aufere festinhas e o perdoa delicadamente. Vem ele, rabinho a abanar (plim plim plim), lambe-me (que loucura) de forma completamente arrependida.

O meu cão gosta da cadela da vizinha (e já ando cá desconfiada que gosta de outra cadela aqui do bairro, mas ainda só a viu da janela) - que posso eu fazer? O danado tem um coração enorme (e não só -  também têm... um .. apetite voraz). Às vezes saímos os três, fofinhos e agasalhados nas noites frias (mas agora está verão e não usamos roupa). Até o admiro por isso -  pah que grande capacidade de amar tudo e todas.

O meu cão, dorme no tapete do meu quarto; quando estou bem disposta, dorme ao fundo dos meus pézinhos lindos, ao fundito da cama. Maravilhoso, é quando estou com TPM (tensão pré menstrual -  que é como quem diz, todo e qualquer dia, do mês, em que quero estar só), dorme na cozinha.

O meu cão, não lava a louça ao fim do jantar, não aspira as carpetes, não faz a cama... who cares? Também não suja. Sejamos correctos. Não suja. Esta alma pura, é capaz de comer e beber meses na mesma tigela, sujinha que só ela!

Falei do meu cão, mas poderia falar do piriquito, do gato, do coelho, etc etc e tal -  sintam-se à vontade de transpor isto para o animal que acharem melhor.

Isto é Amor.

 Dar e receber.

Carinho e respeito.

Honestidade e fidelidade.

Tudo além desta 4 patitas -  é passível de vos desgostar. Vão por mim.

Arejem essas cabeças e descubram o verdadeiro amor da vossa vida. Não dói nada sair do cantinho dos sonhos e dos ideais que a sociedade construiu para nós.. e que aceitamos.

Absurdamente alimentamos isso com pedaços de nada e sonhos. Para mim, meu povo, sonhos, são aqueles bolinhos fofos que compro na Belinha -  a pastelaria ali do bairro.

E não entendo o que as pessoas fazem com os sonhos -  eu, eu... costumo come-los. E não costuma restar nadinha. (Gulosa que sou).

O meu cão manda cumprimentos e concorda com tudo o que vos escrevi, não fosse ele dotado de uma inteligência tal - inexistente na maioria dos "ditos" humanos.

E para os mais serenos, que usam o seu pensamento: sim, provavelmente isto é um post, de uma pessoa frustrada, de quem ninguém gosta..

.....e nunca ninguém me amou.. oh tão infeliz e coitadinha que eu sou!

Comam muitos sonhos e amem o vosso cão.

Tudo além disso, é viver no país da Alice (aquele... o das maravilhas!).

 

Sejam felizes, na realidade, nua e crua.

 


sinto-me
música Vida de cão

publicado por No Name às 12:54 | link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Domingo, 20.03.11

Olá meus pequenos pompons,

estão bem, sim?

Venho aqui, perder uns minutos do meu precioso tempo, para vos alertar, a tempo de não se afundarem totalmente nas teias das mentiras.

Ora bem, quando sentirem um bichinho de desconfiança, sentem-se naquele puf mais fofinho da sala, parem tudo que estão a fazer, ponham as mãos na cabeça..e desconfiem mesmo!

As pessoas possuem artimanhas tais, que não lembram nem ao diabinho de corninhos vermelhos.

Coloquem a mão no fogo por alguém, e saem de lá bem queimadinhos!

Isto tudo, para dizer que, meus caros pompons que aldabram (em especial para esses), isso não é necessário.. vamos todos viver em paz e na verdade.

É bonito de se ver, e não magoa ninguém.

Não escondam coisinhas das (os) vossas (os) companheiras (os), porque isso, é o estalar do verniz.

Um dia destes divago mais sobre este assunto. Agora vou ali descobrir mais facas espetaditas no meu coração (às escondidas)...

Aproveitem o solzinho e esqueçam as pessoas manhosas! Não aprendemos nada com elas.

Até já.

 


sinto-me
música Deixei tudo por ela - zé Cabra

publicado por No Name às 15:02 | link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Good Morning pequenos amores,

 

Domingo de manhã e voces provavelmente estão na caminha, na paz dos anjos.. a ressonar quiça.

E esta pobre alma, está já acordada.

Mais uma sessão de música gratuita patrocinada pelos meus amados e estimados vizinhos.

Há dias, que não sei se ria se chore..

ou se simplesmente, pegue numas cervejas, bata à porta, proferindo simpaticamente este slogan: "Vizinho, querido vizinho, quando não podemos vence-los, juntamo-nos a eles!"

Vou ali só saber qual é o motivo desta festa e venho já.

Continuem a dormir, que isso, é só para quem pode!!!

Durmam.. que o santo do administrador do condomínio deve estar a fazer o mesmo, no seu casulo bem isoladinho aos efeitos nefastos desta poluição sonora!

Pasmem-se as almas mais crentes.. não há ninguem que defenda os meus ouvidos ( e não só...!)


sinto-me
música Uma qualquer - que o vizinho gosta

publicado por No Name às 07:40 | link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Sábado, 19.03.11

Sejam bem recepcionados meus pequenos leitores,

Hoje,

fiz uma pausa na lide doméstica para vos escrever este primeiro post.. sabemos que a primeira vez dói sempre, mas estou bem (não se apoquentem),

 

eis-me aqui, a ouvir as meninas da Ribeira do Sado ( Tem carrapatos atrás das orelhas.. dias bem chalados.. em que o sol batia forte nas cabeças..), para deixar saliente quem são os culpados da criação deste mimoso blog (bah, mais um, em tantos desta vidinha cor-de-rosa da blogosfera),

bem, dizia eu, os culpados: os meus vizinhos!!! Que dão comigo em doida, mas doida a sério.. estão a ver? Aquele extremo em que puxamos cabelos e exercemos violência? Estão a imaginar?

Bem, voltarei, com peripécias, humor e sarcasmo q.b (tal e qual o sal que uso nas comidas).

Portem-se mal até ao meu regresso, mal.. mas com estilo!

Até já.

 

Note-se: Aproveitem-me, pois isto de criar um blog no sapo, não é aprumo para qualquer um. Na volta, ainda tenho de ir pedir auxílio ao vizinho!

Fiquem-se por aí, que eu vou ali aspirar mais uma carpete!

 

 


sinto-me
música Meninas da Ribeira do Sado

publicado por No Name às 16:43 | link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
Maio 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Desvarios recentes

A divertir-me... com... S...

2 é mau. 3 ou mais é muit...

Noite Santa

Hã? Dormir? Para quê? Gen...

Bilhetes surpresa

Cá estou eu!

Amo o meu cão

Desconfiem

Só mais um dia, como tant...

Os culpados

Estante

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

contador de acessos
blogs SAPO
subscrever feeds